Brasília Cidades Ciência Cotidiano Cultura Economia Educação Energia Entretenimento ESPECIAL PUBLICITÁRIO
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
08/03/2021 | 20:30 - Brasil / Turismo

No aniversário do Rio, ministro do Turismo participa do início das comemorações dos 90 anos do monumento do Cristo

Divulgação

Ministro do Turismo participou do lançamento das comemorações dos 90 anos do Cristo Redentor

Oministro do Turismo, Gilson Machado Neto, cumpriu nesta segunda-feira (01.03) agenda institucional no Rio de Janeiro (RJ). Ao lado do prefeito Eduardo Paes e do governador do estado em exercício, Cláudio Castro, Machado Neto participou da solenidade de lançamento das comemorações pelos 90 anos do monumento ao Cristo Redentor, esteve presente no pontapé inicial do programa “Palácios do Povo” e visitou o Cais do Valongo, no centro da cidade. De tarde, se reuniu com os gestores da Apresenta, associação dos promotores de eventos do setor de entretenimento. 
Estiveram presentes o presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Carlos Brito; o secretário especial de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif; a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Larissa Peixoto; os assessores especiais da Presidência da República, Mozart Aragão e Max Guilherme; além de deputados federais, estaduais e senadores.
O primeiro compromisso foi aos pés da estátua do Cristo Redentor: uma missa foi celebrada para lançar as comemorações dos 90 anos do monumento, em 12 de outubro de 2021. A mais de 700 metros acima do nível do mar e com 30 metros de altura, o ícone do turismo brasileiro foi eleito em 2007 como uma das sete maravilhas do mundo moderno. Em 2012, foi considerado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. O monumento também é uma importante ponte de visitação, que recebe, em média, 2 milhões de turistas por ano.
O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou que o Cristo Redentor é um símbolo do nosso país e o Rio de Janeiro é a principal porta de entrada para turistas estrangeiros. "Se você falar para qualquer pessoa do mundo fechar os olhos e dizer a primeira imagem que vem à cabeça quando falamos Brasil, sem dúvida a imagem é essa aqui: o Cristo Redentor. E isso que nós temos aqui mostra que o Brasil foi arquitetado para dar certo”, afirmou.
Para Machado Neto, o Brasil é o melhor país do mundo para o turismo e é preciso valorizar isso. “Nós estamos engajados para ter ‘a’ retomada e não apenas uma simples retomada. Porque, nós somos, sim, o melhor país do mundo para o turismo. Nada se compara ao nosso país. Precisamos divulgar o que temos de melhor, nossa natureza, nossa cultura. Divulgar nosso povo, nossas etnias, nossa miscelânea de ritmos. E isso é o que o governo tem feito”, destacou.
Em seguida, a comitiva prestigiou o lançamento do programa “Palácios do Povo”, que tem o objetivo de abrir para visitação, assim que possível, os palácios da Guanabara e das Laranjeiras, tornando-os atrações turísticas. No evento, o ministro Gilson Machado Neto relembrou que o turismo cultural é um dos segmentos com maior potencial de crescimento no Brasil. “O programa Palácios do Povo certamente contribuirá para que cada vez mais pessoas conheçam a história do nosso país, contribuindo para o aumento do patriotismo e para a valorização da nossa história. Essa é uma preocupação do governo do presidente Bolsonaro”, declarou.
O governador Cláudio Castro explicou a relevância de permitir a visitação aos palácios do governo para que a população possa ter contato com parte da origem da cidade e do estado.  “Não podemos permitir que a população seja privada de conhecer essa história, esses palácios. Sejam bem-vindos, esse espaço não é do governador, é do povo do estado do Rio de Janeiro. Nosso turismo precisa crescer”, disse.
EMBRATUR - Ao lado do presidente da Embratur, Carlos Brito, o ministro anunciou na viagem à capital fluminense a instalação de cinco escritórios da Agência no Brasil, um em cada região. A primeira delas será no Rio de Janeiro.
EVENTOS – Ainda durante a visita à cidade, os representantes do governo federal também se reuniram com representantes do setor de eventos do Rio de Janeiro, um dos mais afetados pelos impactos causados pela pandemia de coronavírus. Em 2019, o segmento de eventos e entretenimento movimentou quase R$ 937 bilhões no Brasil. Os integrantes do Apresenta expuseram a situação e apresentaram demandas.
O ministro Gilson Machado Neto detalhou ações adotadas pelo governo federal para minimizar os impactos da pandemia no setor e colocou o MTur à disposição para alinhar medidas para a área. “Eu entendo vocês porque eu sempre trabalhei com eventos. Contem com a gente e com o governo. O presidente Bolsonaro sempre recebe representantes do setor e sabe da importância de vocês para a economia e para o país”, afirmou.
VISITAS - O ministro também visitou o galpão Docas Pedro II e o Cais do Valongo, que ficam na zona portuária do Rio de Janeiro. O Cais do Valongo, que foi eleito em 2017 como Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), está passando por processo de restauração. O sítio arqueológico foi descoberto em 2011, durante escavações das obras do Porto Maravilha.
Já o galpão Docas Pedro II, que tem grande potencial para o turismo, poderá ser incluído no programa Revive para ser melhor utilizado para o turismo e para cultura. “Nós temos mais de 300 imóveis no Brasil nesse estilo, que hoje estão onerando os cofres públicos, para gente conceder para iniciativa privada e dar mais opções para o lazer e para o turismo”, disse o ministro.
ENCONTRO VIRTUAL - Gilson Machado Neto participou na parte da tarde da convenção virtual do grupo Vila Galé Hotéis. O evento tratou dos prejuízos causados pela queda abrupta do setor resultante da pandemia, dos protocolos de segurança adotados e das perspectivas para a retomada segura do segmento hoteleiro.
Na videoconferência, Machado Neto destacou o momento enfrentado pelo turismo no Brasil e no mundo, a importância dos protocolos de segurança e a necessidade de não decretar lockdowns nos estados, mas fiscalizar. “O Brasil tem 11 milhões de turistas que não viajavam pelo próprio país. Eles iam para o exterior e, agora, estão viajando o Brasil. Espero que, até o final do ano, todo o mundo já esteja vacinado e possamos avançar e atrair cada vez mais turistas. O Brasil é único”, declarou.
Por Rafael Brais

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2021 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença