Amazônia Assembleia Legislativa do Amazonas Brasília Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Cotidiano Economia Educação Energia
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
24/06/2019 | 18:04 - Brasil / Política

SP. Em São Paulo, prefeito defende modelo Zona Franca durante seminário da Folha

Alex Pazuello - Semcom

“Vivemos um verdadeiro caos portuário, temos necessidades de hidrovias, precisamos transformar o aeroporto de Manaus em hub, que centralize nele a distribuição dos aviões para todas as regiões vizinhas, porque nossa vocação é, sem dúvida, o turismo. Precisamos aproveitar o gás natural, criar novos polos de drones, por exemplo, e de softwares, além dos três fundamentais que temos. Tudo isso com tecnologia e mão de obra especializada, que nos permita entrar de cabeça na Revolução Industrial 4.0″, destacou Arthur Neto.

 

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, defendeu o Polo Industrial de Manaus e destacou os caminhos para o crescimento econômico do modelo durante o seminário Zona Franca de Manaus, realizado nesta segunda-feira, 24/6, em São Paulo (SP), nas dependências do Jornal Folha de S. Paulo. Na ocasião, o prefeito foi enfático em dizer que o “Plano Dubai”, proposto pelo governo federal ao Amazonas, não pode vir para substituir e deve complementar o modelo existente. 

Conceituado como um dos mais influentes defensores da Zona Franca de Manaus (ZFM) em Brasília, tanto como deputado federal quanto como senador, o prefeito Arthur Virgílio participou de uma mesa de discussões com o economista-chefe da Necton Investimentos, André Perfeito, e o professor da Faculdade de Estudos Sociais, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Maurício Brilhante de Mendonça.

 

No início de sua fala, o prefeito de Manaus criticou duramente a ausência de um representante do governo federal para explicar o que realmente pretendem para o Amazonas e o Polo Industrial de Manaus. “O mundo pensa em Amazônia. E pensar em Amazônia sem entender o valor da Zona Franca de Manaus significa alienação, pouca inteligência, pouca capacidade de prever o futuro e significa quase que um suicídio diplomático de um governo”, afirmou Arthur, que estava acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro.

 

Arthur Virgílio lembrou, ainda, do compromisso firmado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para a preservação da ZFM junto à bancada federal do Amazonas. Ele também citou que, durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro disse que era a favor de fortalecer a Zona Franca de Manaus. “Então, tenho isso como palavra empenhada e que será cumprida. Agora, lamento muito que ninguém do governo federal esteja aqui para debater conosco. É uma ausência realmente lamentável”, ressaltou.

 

Ao falar sobre as alternativas econômicas para o Polo Industrial de Manaus, o prefeito destacou o potencial turístico da região e a necessidade de mão de obra qualificada para que se possa acompanhar a 4ª Revolução Industrial.

 

“Vivemos um verdadeiro caos portuário, temos necessidades de hidrovias, precisamos transformar o aeroporto de Manaus em hub, que centralize nele a distribuição dos aviões para todas as regiões vizinhas, porque nossa vocação é, sem dúvida, o turismo. Precisamos aproveitar o gás natural, criar novos polos de drones, por exemplo, e de softwares, além dos três fundamentais que temos. Tudo isso com tecnologia e mão de obra especializada, que nos permita entrar de cabeça na Revolução Industrial 4.0″, destacou Arthur Neto.

Semcom

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2019 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença