Assembleia Legislativa do Amazonas Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Economia Educação Energia Esporte Eventos Meio Ambiente
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
02/05/2019 | 18:39 - Brasil / Política

BSB . Comissão de Relações Exteriores defende saída pacífica para conflito na Venezuela

Pedro França/Agência Senado

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) avaliou que a situação na Venezuela e na fronteira brasileira, em especial no município de Pacaraima (RR), é “dramática”. Segundo ele, o governo não tem interesse em se envolver em um conflito militar contra a Venezuela, mas tem agido no sentido de garantir assistência e ajuda humanitária aos venezuelanos que se refugiam no Brasil. — É um problema que só vai se resolver ao se restabelecer a democracia na Venezuela — afirmou.

 

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado (CRE) manifestou nesta quinta-feira (2) “profunda preocupação com os recentes acontecimentos na Venezuela”. Em comunicado oficial lido pelo presidente da comissão, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), o colegiado lamentou a morte de civis em decorrência do acirramento dos conflitos no país vizinho e reiterou a expectativa por uma saída pacífica para a crise. Para os senadores, o Brasil deve auxiliar na resolução da crise por vias democráticas.

— Reiteramos nossa expectativa de uma transição democrática em um processo pacífico e de respeito aos direitos humanos. Nosso país continuará a exercer pressão diplomática — afirmou Nelsinho.

Após a leitura do comunicado, vários senadores ressaltaram a tradição diplomática brasileira e rechaçaram qualquer intervenção militar brasileira na Venezuela. Líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que o Brasil não pode ser “porta-voz de nenhuma aventura bélica e militar no país vizinho”.

— A ditadura existente na Venezuela deve ser esgotada de forma diplomática — defendeu.

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) avaliou que a situação na Venezuela e na fronteira brasileira, em especial no município de Pacaraima (RR), é “dramática”. Segundo ele, o governo não tem interesse em se envolver em um conflito militar contra a Venezuela, mas tem agido no sentido de garantir assistência e ajuda humanitária aos venezuelanos que se refugiam no Brasil.

— É um problema que só vai se resolver ao se restabelecer a democracia na Venezuela — afirmou.

Mecias de Jesus (PRB-RR) pediu maior assistência do governo ao estado de Roraima e disse não acreditar numa solução pacífica a curto prazo. Para o senador, a tendência é que a tensão entre Nicolás Maduro e Juan Guaidó se intensifique.

— Não creio que haverá condições da Venezuela sair da situação em que se encontra hoje sem um confronto armado entre eles — avaliou.

O presidente da CRE informou que a subcomissão criada para discutir a crise da Venezuela deverá se reunir na segunda-feira (6), às 14h, para ouvir o prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato dos Santos, sobre a situação no município.


Agência Senado 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2019 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença