Assembleia Legislativa do Amazonas Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Economia Educação Energia Esporte Eventos Meio Ambiente
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
24/05/2018 | 17:05 - Brasil / Esporte

BRA. Letra inédita dos Mamonas Assassinas vira música para a Copa do Mundo

Divulgação

Uma das anotações encontradas trazia o título Futi e conteúdo sobre futebol. Foi, então, que Jorge convidou Ruy Brissac, que deu voz a Dinho no espetáculo O musical Mamonas, para interpretar canção. O resultado foi a música Vai Aê. “Como família, a gente só quer perpetuar o legado do Dinho. A música é muito otimista, traz um lado positivo que o Dinho acreditava e o Brasil precisa disso. Precisa acreditar em alguma coisa. Ele dizia que ‘o impossível não existe’, ‘acredite em você’. Levamos isso para a letra. Mamonas era isso. O Dinho era isso”, finalizou.

 

Uma música escrita por Dinho, vocalista dos Mamonas Assassinas, foi lançada nesta quarta-feira (23), na rádio 89FM, e terá um evento de lançamento amanhã (24). Batizada de Vai Aê, a composição foi criada há mais de 20 anos pelo músico, mas só ganhou vida agora nas mãos do primo do cantor.

“O Dinho era apaixonado por futebol, corintiano. Talvez não fosse uma música, mas achamos outras coisas anotadas com ‘Copa’, ‘1998’. Acho que ele faria algo para a Copa de 1998. E ele falava de futebol, mesmo no Mamonas, quando diz que ‘o Brasil é tretacampeão’ (sic)”, disse o primo de Dinho, Jorge Santana, em entrevista ao UOL.


Jorge é o responsável por cuidar do legado de Dinho e dos projetos que levam o nome do parente. A letra da canção foi encontrada enquanto Jorge procurava materiais inéditos do vocalista do Mamonas para a produção do longa-metragem sobre a banda.

Uma das anotações encontradas trazia o título Futi e conteúdo sobre futebol. Foi, então, que Jorge convidou Ruy Brissac, que deu voz a Dinho no espetáculo O musical Mamonas, para interpretar canção. O resultado foi a música Vai Aê. “Como família, a gente só quer perpetuar o legado do Dinho. A música é muito otimista, traz um lado positivo que o Dinho acreditava e o Brasil precisa disso. Precisa acreditar em alguma coisa. Ele dizia que ‘o impossível não existe’, ‘acredite em você’. Levamos isso para a letra. Mamonas era isso. O Dinho era isso”, finalizou.

UOL

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2018 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença