Amazônia Assembleia Legislativa do Amazonas Brasília Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Cotidiano Economia Educação Energia
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
08/04/2019 | 20:20 - Amazonas / Saúde

AM . Dia Mundial de Combate ao Câncer: a luta é de todos nós

Divulgação

A ação, que aconteceu na Bola do Armando Mendes, zona Leste da capital, reuniu centenas de mulheres, para aulas de zumba e atividades recreativas, com o apoio de voluntárias e de parceiros como a Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), além da Rede Feminina de Combate ao Câncer do Amazonas (RFCC-AM) e FCecon.

 

 

Na última sexta-feira, 5, movimentos de apoio à causa câncer participaram, em Manaus, a convite da Rede Feminina Nacional de Combate ao Câncer, da campanha “Preciso Viver 2019”, alusiva ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, comemorado nesta segunda-feira, 8 de abril.

A ação, que aconteceu na Bola do Armando Mendes, zona Leste da capital, reuniu centenas de mulheres, para aulas de zumba e atividades recreativas, com o apoio de voluntárias e de parceiros como a Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), além da Rede Feminina de Combate ao Câncer do Amazonas (RFCC-AM) e FCecon.

A ideia é chamar a atenção da população para os fatores de risco do câncer, doença que já é considerada uma das principais causas de morte no mundo. No Amazonas, a alta incidência acende um alerta entre a comunidade médica e grupos de saúde que trabalham na assistência e sensibilização da sociedade.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA), subordinado ao Ministério da Saúde (MS), estima que, em 2019, o Estado registre 5.860 novos casos de câncer, sendo 2.730 em homens e 3.130 em mulheres.

A presidente da Lacc, enfermeira oncológica Marília Muniz, explica que, em mais de 20 anos de experiência na Fundação Cecon, unidade de alta complexidade considerada referência em cancerologia na Amazônia Ocidental, tem sido mais comum o diagnóstico em pessoas jovens.

“Há algumas décadas, o câncer era considerado uma patologia da terceira idade. Hoje, com o aumento do consumo de Fast Foods e a facilitação da compra de bebidas alcoólicas e cigarro, além da prática do sexo sem proteção, notamos que há um aumento do número de pacientes com menos de 40 anos, com a doença. Muitas vezes, esses pacientes buscam ajuda quando a doença já está em estágio avançado, o que reduz as chances de cura”, destacou.

Ativista da causa, Muniz explica que inúmeras pesquisas apontam que a mudança de alguns hábitos pode reduzir as chances de desenvolvimento da doença. “Uma alimentação saudável, rica em vegetais, carnes magras e brancas; a prática de exercícios físicos, com acompanhamento profissional, de preferência; a adesão à vacina contra o HPV, vírus considerado um dos principais agentes causadores do câncer de colo uterino no mundo; e a realização dos exames periódicos, são algumas medidas que ajudam na prevenção. Mas, nossa principal arma, na atualidade, é a informação”, frisou.

 

A tecnologia na luta contra o câncer

De acordo com a especialista em oncologia, a tecnologia pode ser usada em favor da população, contribuindo com a disseminação das campanhas nas redes sociais e garantindo a participação de pessoas de todas as faixas-etárias no processo de conscientização. “Convocamos jovens e adultos a levaram as informações aos seus familiares, amigos e seguidores das redes sociais, para garantirmos a adesão à causa, através do alerta sobre os fatores externos de risco e a importância dos exames periódicos de rastreio (mamografia, preventivo, toque retal, ultrassonografias e afins)”, reforçou.

Muniz explica que a Lacc tem se tornado um importante canal de diálogo com a população do Amazonas, através da realização e do apoio às campanhas desenvolvidas no Estado. “Também garantimos, através dos nossos projetos sociais, a continuidade do tratamento de pacientes que vêm de outras localidades do Amazonas, de outras unidades da federação e até de outros países e que, possivelmente, abandonariam a terapia por falta de condições de se manter em Manaus”, destacou.

Os projetos, como o aluguel social, a doação de cestas básicas, alimentação especial, transporte de pacientes para a FCecon, distribuição diária de cafés da manhã no hospital, suportes às ações do Serviço de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos, do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC), entre outros, são financiados através das contribuições financeiras da sociedade. As doações podem ser feitas pelo site da Lacc (www.laccam.org.br) e pelo telefone (92) 2101-4900. 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2019 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença