Assembleia Legislativa do Amazonas Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Economia Educação Energia Esporte Eventos Meio Ambiente
GALERIAS VÍDEOS RÁDIO
notícias
Enviar por e-mail Imprimir Compartilhar
06/11/2017 | 13:45 - Brasil / Saúde

AM . Brasil deve ter 61 milhões de casos de câncer de próstata este ano, diz Inca

Divulgação

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa é que em 2017 o Brasil totalize 61,2 milhões de casos diagnosticados. Só no Estado de São Paulo serão mais de 291 mil registros da doença que, quando se fala em câncer, só não mata mais homens em todo o mundo que o de pulmão. Segundo o American Cancer Society, é como se um em cada sete homens sejam diagnosticados com a doença ao longo da vida, no planeta.

 

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa é que em 2017 o Brasil totalize 61,2 milhões de casos diagnosticados. Só no Estado de São Paulo serão mais de 291 mil registros da doença que, quando se fala em câncer, só não mata mais homens em todo o mundo que o de pulmão. Segundo o American Cancer Society, é como se um em cada sete homens sejam diagnosticados com a doença ao longo da vida, no planeta.

Apesar dos números, o tabu de o homem ir ao médico ainda continua. A notícia boa é que, ao menos, isso tem diminuído, conta o Flavio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo e professor livre-docente de Urologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

“Por isso, na verdade, o que procuramos fazer nessas campanhas do Novembro Azul é estimular o diagnóstico precoce não só do câncer de próstata, mas estimular o homem a ir ao médico”, explica ele, brincando que é preciso aprender com as mulheres.

“Elas fazem exames preventivos todo ano. Os homens às vezes são criados na crendice de que nunca vão ficar doentes, que não precisam ir no médico e isso realmente é uma das coisas que precisam mudar. E está mudando”, diz.

Segundo Trigo, quando se diagnostica um câncer de próstata precocemente, em 80% dos casos há cura. Isso considerando só os tipos mais agressivos da doença, pois há tumores que mesmo se não tratados, têm evolução tão lenta que não exigem muitos cuidados.

Os mitos

É esse tipo de informação que reforça, no entanto, alguns mitos. Espalhou-se a notícia de que, para um homem ter câncer de próstata, é questão de tempo, algo natural – quando não é.

''Há um levantamento que diz que, se todos os homens vivessem 120 anos, provavelmente todos acabariam tendo câncer de próstata, porque é uma doença cuja probabilidade de ocorrer cresce com a idade. Mas há diversos espectros da doença. Vários não precisam ser tratados, só acompanhados. Para saber, é preciso diagnosticar”, diz o médico.

Acompanhamento

Quando a doença está localizada, o tratamento normalmente é a cirurgia de remoção da próstata. De acordo com Trigo, cerca de 20% dos homens que precisam passar pela cirurgia podem ter disfunção erétil e, de 5% a 10% podem ficar com incontinência urinária.

“Mas isso não pode inpedir o diagnóstico. A doença, se não tratada, pode se espalhar. O câncer pode ir até para os ossos”, conta Trigo, lembrando que estudos na Europa mostraram que a população masculina que passou por acompanhamento anual a partir dos 50 anos aumentou a expectativa de vida em 35%.

Por isso a indicação é para todo homem a partir dos 50 anos visitar seu urologista. A exceção é de homens com histórico familiar da doença, ou de raça negra. Esses precisam começar os exames a partir dos 40 anos.

Fonte: A Tribuna

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2017 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença