Assembleia Legislativa do Amazonas Câmara Municipal de Manaus Cidades Ciência Economia Educação Energia Esporte Eventos Meio Ambiente
GALERIAS RÁDIO TV
notícias
22/05/2019 | 13:21 - Amazonas / Cidades

AM . Aberta consulta pela internet a 32 mil itens que serão leiloados pelo Estado

Gabriel Retondano

Os interessados em participar do Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas já podem consultar os itens disponíveis pelo site www.leilaomanaus.com.br. O leilão é organizado pela Secretaria de Administração e Gestão (Sead) e será realizado nos dias 31 de maio e 1º de junho, às 9h, na sede da Leilão Manaus, localizada na avenida Torquato Tapajós, 5.050.

 

Pagamentos poderão ser feitos por meio de boleto, no crédito e no débito

 

Os interessados em participar do Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas já podem consultar os itens disponíveis pelo site www.leilaomanaus.com.br. O leilão é organizado pela Secretaria de Administração e Gestão (Sead) e será realizado nos dias 31 de maio e 1º de junho, às 9h, na sede da Leilão Manaus, localizada na avenida Torquato Tapajós, 5.050.

 

Serão 32 mil itens, bens considerados inservíveis, pertencentes ao patrimônio do Estado do Amazonas – carros motos, pequenas embarcações, entre outros. O leiloeiro oficial contratado é Hugo Moreira Pimenta, com experiência no mercado e selecionado por meio de licitação.

 

Com a venda dos bens, o Estado espera gerar uma receita entre R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões, segundo a titular da Sead, Inês Carolina Simonetti. “Nós temos quase 7 mil metros quadrados de área ocupada com bens inservíveis. Com o leilão, a gente devolve esses bens parados em forma de receita para o Estado”, ressaltou a secretária.

 

Além de saber quais bens serão disponibilizados, o interessado em participar tem acesso a outras informações importantes, disse o coordenador de Patrimônio da Sead, Sander José Couto da Silva. “Pela internet, poderá obter informações sobre o valor da avaliação, lance inicial e outras especificações do produto, como marca, modelo e ano de fabricação. É uma forma de contribuir com o equilíbrio das contas públicas”, apontou.

 

Cadastro e visitação – Quem for participar do leilão precisa se cadastrar no site da Leilão Manaus. “Cadastrado, o interessado em participar do leilão está habilitado para visitar o local onde os bens estão alocados. No cadastro online são prestadas informações pessoais e profissionais”, disse o leiloeiro Hugo Pimenta. Segundo ele, a Leilão Manaus conta com 30 mil cadastrados. O edital do leilão estará disponível no site da Leilão Manaus e nos locais de visitação.

 

Os interessados poderão visitar os lotes até o próximo dia 30 de maio (exceto no domingo), das 9h ao meio-dia (segunda-feira a sábado) e das 14h às 16h (segunda-feira a sexta-feira). Os veículos a serem leiloados estão disponíveis na Leilão Manaus, na avenida Torquato Tapajós, 5.050, Flores.

 

Há outros três depósitos da Sead com materiais que serão leiloados, nos endereços: avenida Torquato Tapajós, s/nº, Flores, ao lado do Departamento de Engenharia e Transporte da Secretaria Municipal de Educação (Semed); avenida Torquato Tapajós, 5497, Tarumã, ao lado da Videolar; e avenida Mario Ypiranga, 3.280, Parque Dez, ao lado da Universidade Paulista (Unip).

 

Quem adquirir um dos lotes terá as opções de pagar no boleto e no cartão. No débito, haverá acrescimento de 5%. Na opção crédito, poderá pagar em uma única parcela, com acréscimo de 10%; a partir da segunda parcela, além de 10%, haverá o acrescimento de 5% por parcela.

 

Inservíveis – Os bens móveis considerados inservíveis para o Estado, que estão disponíveis para o leilão, são todos aqueles que não têm mais utilidade para os órgãos públicos. Os bens possuem vários níveis de desgaste e sofreram avaliação do leiloeiro e da Comissão de Leilão.

 

Os bens inservíveis são classificados como ocioso, recuperável, antieconômico e irrecuperável. O ocioso, normalmente, está em boas condições de uso, mas não está sendo aproveitado. O bem recuperável é aquele possível de recuperação, cujo custo é 50% do valor de mercado.

 

O antieconômico, por sua vez, tem uma manutenção onerosa por conta do desgaste e, em virtude disso, sua recuperação é superior a 50% do valor de mercado. Já o irrecuperável não tem mais utilidade ou sua recuperação é economicamente inviável. O processo de exclusão de um bem também se chama desfazimento.

 

Secom
 

deixe seu comentário

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Acompanhe nas redes sociais

© 2006 - 2019 Roteiro Amazônico. Todos os direitos reservados.

sob liçença